REUMATOUSP

facebook

Home

Para Pacientes

Sobre as doenças

Fasciíte plantar

Fasciíte plantar


1. O que é fasciíte plantar?

É a causa comum de dor sob o calcâneo conseqüente a pequenos traumas repetitivos e alterações degenerativas na origem da fáscia plantar, levando à inflamação local. A fáscia é uma banda fibrosa e firme que sustenta e mantém o arco plantar de pé. 

2.Quando suspeitar de fasciíte plantar?

Dor embaixo do calcâneo, piora pela manhã ao iniciar a marcha, melhora após os primeiros passos. Além disto, pode estar associado com inchaço local. 

3.Quais os fatores de risco para a fasciíte plantar? 

Excesso de peso, ocupacional (ficar em pé por longo período), pés planos, esporão de calcâneo, corrida excessiva, encurtamento do tendão de Aquiles. 

4.Como prevenir a fasciíte plantar? 

 - Alongar os músculos da panturrilha antes e após a corrida. 
 - Utilizar um calçado adequado para o seu tipo de pé e/ou utilização de palmilhas feitas sob medida.

5. Como tratar a fasciíte plantar?

Temos os seguintes tipos de tratamento:

a) Tratamento não farmacológico:
     - Repouso: evitar atividades que agravam a dor
     - Uso de calçado adequado e de palmilhar: evitar andar descalço em superfícies rígidas, evitar calçados planos, de preferência usar tênis novo com bom sistema de amortecimento no calcanhar, considerar o uso de palmilhas à Avaliar o tipo de pé (pé plano = palmilha com apoio para o arco plantar longitudinal medial; hiperpronação = palmilha com cunha medial).

b) Fisioterapia:
     -  Aquecimento da fáscia plantar antes dos primeiros passos do dia com massagem de fricção horizontal
     -  Alongamento da fáscia plantar = Flexão dorsal dos dedos do pé, rolamento do pé sobre uma bola de tênis
     - Corrigir fatores de risco funcionais à Avaliar alterações anatômicas: (encurtamento Alongamento do gastrocnêmio e do solear = exercício de inclinação para a parede, alongamento sobre degraus (cuidado em pacientes idosos); fraqueza da musculatura intrínseca do pé = exercícios com toalha. 

c) Órteses: 
     -  Talas noturnas; tornozeleiras para uso diurno. 

d) Tratamento farmacológico:
     - Antiinflamatórios não-esteroidais (usar precocemente apenas como sintomático para alívio da dor); infiltração com corticosteróides (evitar ao máximo devido à possibilidade de complicações como ruptura da fáscia; resposta apenas a curto prazo. 

e) Tratamento cirúrgico:
     - Fasciotomia plantar parcial (considerar apenas após falha do tratamento conservador por 12 meses;  70-90% de taxa de sucesso; recuperação após semanas a meses).  

VOLTAR

Produzido por: Atomica Studio